O professor do curso de Ciências Econômicas e Gestão Financeira da FAHOR, Márcio Leandro Kalkmann, realizou um levantamento, com base no Censo Agropecuário – IBGE, sobre a atividade leiteira em Horizontina. As adaptações realizadas pelo professor e pesquisador mostram alguns números e mudanças entre 2006 e 2017.

O número de propriedades rurais diminuiu, com 1265 estabelecimentos em 2006 e 905 em 2017, O número de estabelecimentos com produção leiteira e vacas ordenhadas também diminuiu em Horizontina neste período. Em 2006, o número de propriedades rurais com produção leiteira era de 483 e em 2017, 467. E o número de vacas ordenhadas passou de 3824 em 2006, para 3604 em 2017.

Já a produtividade, baseada na quantidade produzida, teve um aumento de 31,95% de 2006 para 2017, passando de 10,6 milhões de litros para 14,1 milhões de litros por ano. A quantidade de leite produzida por animal também teve um aumento considerável, de 2,79 mil litros para 3,91 mil litros por ano, uma variação positiva de 40%.

Mesmo com a diminuição no número de cabeças, a produtividade aumentou e isso significa que os produtores estão realizando um maior investimento em tecnologia, genética e alimentação, alcançando melhores resultados. “Observa-se uma tendência por uma maior especialização das atividades, maior qualidade dos insumos e equipamentos que são usados para as atividades, bem como um desafio para uma agregação de valor em produtos derivados do leite”, destaca o professor Márcio.

n2145