X

NOTÍCIA

FAHOR realiza pesquisa de inadimplência no comércio de Horizontina

Publicada em: 16/12/2016 | Assessoria de Comunicação FAHOR

Na última semana, foram apresentados os resultados da pesquisa sobre inadimplência no comércio de Horizontina, realizado pelos acadêmicos de Ciências Econômicas da FAHOR na disciplina de Estatística Econômica. A professora Cassia Bordim Santi juntamente com os acadêmicos, Ana Paula Dalla Lana, Anderson Rafael Pollo, Bruna Carolina Moentke, Hilton Kretzmann, Jackson Giovan Lipke, Jaqueline Laila Cansi, Jean Frantiesco Dalcin, Joici Cristiani de Souza, Larissa Franus, Mariele Aline Müller, Noeli Dreissig Hirt, Rogério André Beling, Sabrina Lucas, Taís Raiela Müller, Vanessa Andreia Maron e Vinícius Bonapaz montaram um questionário com 10 indagações sobre inadimplência e pesquisaram 5 áreas do comércio: lojas de vestuário, eletrodomésticos, supermercados, restaurantes e farmácias.

Segundo a professora Cassia, "este trabalho tem principal objetivo aplicar a teoria a prática, ou seja, aplicar os conceitos estatísticos estudados em um trabalho de pesquisa de interesse dos acadêmicos e da comunidade". Ainda segundo ela, o trabalho de pesquisa tem por finalidade analisar a inadimplência no comércio de Horizontina e ao final, propor dicas para empresários e consumidores.

A professora explica que "foi realizada uma amostragem aleatória simples, escolhendo aleatoriamente cinco estabelecimentos comerciais e realizando a pesquisa nos mesmos. As perguntas foram formuladas pelos acadêmicos juntamente comigo".

Conforme a pesquisa realizada pelos acadêmicos, os fatores que podem estar influenciando na inadimplência dos clientes seriam:

• Empréstimos;

• Desemprego;

• Falta de controle financeiro, gastos desnecessários.

Os acadêmicos também propuseram algumas medidas com o objetivo de reduzir a inadimplência:

• Aumentar o número de informações no cadastramento dos clientes emitentes de cheques;

• Limitar os valores para compra à prazo com cheques;

• Consultas ao sistema de informações de crédito;

• Trabalhar com cartões de crédito e débito;

• Atualização cadastral mensal;

• Priorizar vendas á vista;

• Trabalhar o mínimo possível com crediário;

• Todo empresário deve saber o que está acontecendo com a economia, nível de desemprego, retração do PIB e tantos outros fatores que podem determinar uma crise de inadimplência.

• Promoções e a criação do cartão fidelidade;

• Sugere-se que os empresários, façam descontos especiais para quem comprar à vista, para assim ter menos inadimplentes em suas lojas.

E ainda, propuseram algumas dicas para os clientes e fazerem suas compras de final de ano e não entrarem em 2017 no vermelho e nem na inadimplência. As dicas para os consumidores são:

• Faça o controle financeiro, pode ser por planilhas básicas ou com um simples aplicativo de telefone, para que possa saber a hora de parar de gastar;

• Crie o hábito de guardar dinheiro, para que em uma situação de emergência você não se torne inadimplente;

• Procure comprar somente à vista, evitando parcelar as compras em muitas vezes;

• Procure sempre conversar com o credor, negociando a dívida da melhor maneira possível;

• Busque descontos;

• Pesquise preços;

Os acadêmicos realizaram a pesquisa entre outubro e novembro desse ano aqui na cidade. Todos os dados são sigilosos e não estão nem na pesquisa escrita e nem nas apresentações orais. Para mais detalhes quanto as pesquisas, elas estão publicadas no site fahor.com.br.

• INADIMPLÊNCIA NOS SUPERMERCADOS (Veja aqui a pesquisa completa)

Inadimplência nada mais é do que a falta de cumprimento de suas obrigações. Com a atividade econômica enfraquecida a capacidade de pagamento tanto das pessoas físicas como jurídicas enfraquece também. Segundo o SPC Brasil, no mês de maio deste ano, mais de 500 mil pessoas entraram para a lista de inadimplência e negativados, e em setembro de 2016 cresceu 12% as empresas que entraram pra lista de negativados.

Tabela 1: Forma de pagamentos que os clientes utilizam

 

A

B

C

D

E

Média

CHEQUES

2%

2,70%

2%

8%

4%

3,7%

CREDIÁRIO

5%

65,80%

10%

50%

23%

30,8%

BOLETO BANCÁRIO

0%

5,50%

0%

5%

0%

2,1%

CARTÃO DE CRÉDITO

10%

13,50%

0%

20%

30%

14,7%

À VISTA

83%

12,50%

88%

17%

43%

48,7%

Total

100%

100%

100%

100%

100%

100%

Fonte: Elaboração própria com base na pesquisa.

O pagamento à vista é o mais utilizado, 48,7%, seguido do crediário 30,8%. Considerando o percentual dos clientes inadimplentes, a média da inadimplência com cheques é de 16,7%, dois dos mercados pesquisados não possuem inadimplência nesta forma de pagamento. A média da inadimplência no crediário é de 83,2%. O pagamento por boleto bancário é utilizada apenas por dois mercados pesquisados, atingindo um nível de inadimplência de 7% e 30% respectivamente.

Considerando a média dos clientes inadimplentes:

• Considerando a faixa etária, dos 26 aos 40 anos, a média é de 39,2%. Dos 41 aos 65 anos é de 47,2%;

• 71,2% são do sexo masculino;

• 57,8% recebem salário mensal entre R$ 1.001,00 a R$ 2.000,00, seguido de 25,5% recebem salário mensal entre R$ 2.001,00 a R$ 4.000,00;

• o valor médio da dívida no crediário é de R$1.414,00 por cliente inadimplente e no cheque é de R$700,00 por cliente inadimplente;

• Três das empresas pesquisadas incluem mensalmente em média 5 clientes no SERASA, sendo a faixa etária dos 26 aos 40 anos; destes em média 62% pagam a dívida. As empresas declararam que:

• dos seus clientes que atrasam as dívidas mas pagam, estes variam de 10% a 50%, e os mesmos pertencem a faixa etária de 26 aos40 anos;

• o mês de maior inadimplência é fevereiro;

• o mês de maior venda é dezembro;

• as vendas neste ano variaram, comparando com o ano de 2015, em alguns teve aumentos de 7%, outro queda que chegou a 25% e outro que se manteve.

• INADIMPLÊNCIA NAS FARMÁCIAS (Veja aqui a pesquisa completa)

O segmento de farmácias e drogarias no Brasil movimenta em torno de US$ 62 bilhões anuais, posicionando o país como o quarto mercado mundial de medicamentos. Com mais de 75 mil drogarias em funcionamento, o Brasil é o país com o maior número de farmácias no mundo, com uma proporção de 3,4 farmácias para cada 10 mil habitante. Em relação ao endividamento dos consumidores do setor, leva-se como referencia em torno de 2% do faturamento total, isto em comparação ao território nacional.

Tabela 1: Percentual dos clientes que efetuam o pagamento de suas compras com:

 

A

B

C

D

E

Média

CHEQUES

5%

5%

2%

10%

15%

7%

CREDIÁRIO

20%

15%

5%

0%

5%

9%

BOLETO BANCÁRIO

0%

0%

0%

0%

0%

0%

CARTÃO DE CRÉDITO

35%

30%

60%

50%

50%

45%

À VISTA

40%

50%

33%

40%

30%

39%

Nenhuma das empresas trabalha com pagamentos em boleto bancário, pagamentos em cheque a média ficou em 7%, no crediário a média ficou em 9%, com o cartão de crédito apresentam a maior média sendo de 45%, e os pagamentos à vista a média fica em 39%.

Considerando o percentual dos clientes inadimplentes, a média da inadimplência com cheques é de 7%, duas das farmácias pesquisados não possuem inadimplência nesta forma de pagamento, e uma só possui inadimplência nesta forma de pagamento. A média da inadimplência no crediário é de 89%.

Considerando a média dos clientes inadimplentes:

• Considerando a faixa etária, dos 41 aos 65 anos, a média é de 52%;

• 58% são do sexo feminino;

• 46% recebem salário mensal entre R$ 1.001,00 a R$ 2.000,00, seguido de 24% recebem salário mensal entre R$ 2.001,00 a R$ 4.000,00;

• o valor médio da dívida no crediário é de R$ 350,00 por cliente inadimplente e no cheque é de R$ 100,00 por cliente inadimplente;

• Incluem bimestralmente em média 5 clientes no SERASA, sendo a faixa etária dos 40 aos 50 anos; destes a média dos que pagam a dívida, varia de 10% a 99%.

As empresas declararam que:

• dos seus clientes que atrasam as dívidas mas pagam, estes variam de 30% a 80%, e os mesmos pertencem a faixa etária de 40 anos;

• o mês de maior inadimplência é janeiro;

• o mês de maior venda é julho;

• as vendas neste ano variaram, comparando com o ano de 2015, em algumas obteve aumentos de 10% a 30%, outro queda que chegou a 10% e outra que se manteve.

• INADIMPLÊNCIA NO SETOR DO VESTUÁRIO (Veja aqui a pesquisa completa)

Segundo o Sindilojas, "a inadimplência do consumidor obteve alta de 4,8% em outubro de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC, descontados efeitos sazonais. No entanto, no acumulado em 12 meses (entre novembro de 2015 e outubro de 2016 contra os 12 meses antecedentes) a inadimplência acelerou 0,6 p.p. (pontos percentuais) no mês, atingindo 2,2% no período. Na avaliação contra o mesmo mês do ano anterior, outubro apresentou alta de 6,4%, enquanto no acumulado do ano houve elevação de 0,8% frente ao mesmo período do ano anterior".

  A B C D E Média

CHEQUES

10% 10% 10% 15% 0% 9%

CREDIÁRIO

30% 50% 50% 70% 40% 48%

BOLETO BANCÁRIO

10% 0% 0% 0% 0% 2%

CARTÃO DE CRÉDITO

30% 30% 30% 10%

40%

28%

À VISTA

20% 10% 10% 5%    

Fonte: Elaborado pelo autor.

O crediário é a forma de pagamento mais utilizada, sendo 48%; seguida do cartão de crédito, 28%. Considerando o percentual dos clientes inadimplentes, a média da inadimplência com o crediário é de 88%, seguida de 8% em cheques e 4% em boleto bancário.

Considerando a média dos clientes inadimplentes:

• Considerando a faixa etária, dos 41 aos 65 anos, a média é de 40%;

• 82% são do sexo feminino;

• 30% recebem salário mensal entre R$ 0 a R$ 1.000,00 e 25% recebem salário mensal entre R$ 1.001,00 a R$ 2.000,00;

• o valor da dívida no crediário dos clientes inadimplente, no total, variam de R$ 10.000,00 a R$ 40.000,00;

• Duas empresas pesquisadas incluem mensalmente em média 20 clientes no SERASA, outras duas empresas fazem cobrança com advogados e uma empresa faz a cobrança pessoalmente, sendo a faixa etária dos 25 aos 50 anos; destes a média dos que pagam a dívida, varia de 50% (os que são registrados no SERASA) e a 99% (com advogados e pessoalmente).

As empresas declararam que:

• dos seus clientes que atrasam as dívidas mas pagam, estes representam 40%, e os mesmos pertencem a faixa etária de 30 anos;

• os meses de maior inadimplência são janeiro, fevereiro e março;

• o mês de maior venda é abril, maio, junho e dezembro;

• as vendas neste ano se manteram as mesmas, comparado com 2015, os lojistas de Horizontina consideram que houve um pequeno aquecimento na venda, considerando que neste ano teve um inverno rigoroso, o qual contribuiu para uma pequena alta em comparação ao ano de 2015, mas abaixo das expectativas..

• INADIMPLÊNCIA EM LOJAS DE ELETRODOMÉSTICOS (Veja aqui a pesquisa completa)

Tabela 1: Forma de pagamento.

A

B

C

D

E

Média

CHEQUES

20%

0%

20%

10%

10%

12%

CREDIÁRIO

50%

40%

25%

50%

50%

43%

BOLETO BANCÁRIO

0%

0%

5%

0%

5%

2%

CARTÃO DE CRÉDITO

20%

29%

25%

20%

30%

25%

À VISTA

10%

31%

25%

20%

5%

18%

O crediário é a forma de pagamento mais utilizada, sendo 43%; seguida do cartão de crédito, 25%.

Considerando o percentual dos clientes inadimplentes, a média da inadimplência com o crediário é de 94%, seguida de 3% em cheques e 3% em boleto bancário. Considerando a média dos clientes inadimplentes: Considerando a faixa etária, de 26 a 40 anos com 41%; seguido pela faixa etária de 41 a 65 anos com 25%; 18 a 25 anos é de 23%, e acima de 61 anos com 11%;

• 54% são do sexo masculino;

• 42% estão na faixa salarial que recebem de R$ 1.001,00 a R$ 2.000,00; 36% da faixa salarial de 0 a R$ 1.000,00; 15% na faixa salarial de R$ 2.001,00 a R$ 4.000,00; 3% estão na faixa salarial de R$ 4.001,00 a 6.000,00; 2% da faixa salarial de R$ 6.001,00 a R$ 10.000,00; e 2% também acima de R$ 10.000,00.

• o valor da dívida no crediário dos clientes inadimplente correspondem a R$ 3.500,00 por cliente, na modalidade crediário e R$ 420,00 por cliente é o valor médio das dívidas em cheques;

• Das empresas pesquisadas incluem mensalmente em média 18 clientes no SERASA, sendo a faixa etária de 24 anos; destes a média dos que pagam a dívida, são de 70%; As empresas declararam que:

• dos seus clientes que atrasam as dívidas mas pagam, pertencem a faixa etária de 33 anos;

• os meses de maior inadimplência são janeiro, fevereiro, junho e agosto;

• os meses de maior venda são novembro e dezembro;

• as vendas neste ano tiveram queda, comparado com 2015, a previsão de vendas para este fim de ano é que não haverá crescimento em comparação ao ano passado, ou terá um aumento que varia de 5% a 30%.

• INADIMPLÊNCIA NOS RESTAURANTES (Veja aqui a pesquisa completa)

De acordo com a pesquisa realizada em 5 restaurantes da cidade de Horizontina, o percentual de clientes que efetuam o pagamento de suas compras com cheques, crediário, boleto bancário, cartão de crédito e à vista, está representado no gráfico a seguir:

TABELA 1: FORMA DE PAGAMENTOS QUE OS CLIENTES UTILIZAM

  A B C D E Média

CHEQUES

5% 5% 7% 5% 4% 5%

CREDIÁRIO

20% 21% 19% 20% 25% 21%

BOLETO BANCÁRIO

0% 1% 0% 0% 2% 2%

CARTÃO DE CRÉDITO

45% 45% 49% 40% 35% 43%

À VISTA

30% 26% 27% 35% 34% 30%

 

Busca

Newsletter

Aniversários