X

NOTÍCIA

Alunos das disciplinas de Física realizam experimentos

Publicada em: 16/06/2017 | Assessoria de Comunicação FAHOR

Nas disciplinas de Física II e III, ministradas pela professora Valéria Bonetti Jerzewski são desenvolvidos vários experimentos e atividades práticas, com o intuito de aprofundar o conhecimento adquirido durante as atividades teóricas.

Nas aulas de Física II, os alunos tiveram a oportunidade de pesquisar e construir equipamentos voltados para os conceitos de: Densidade, Lei de Steven, Arquimedes, Bernoulli, Calor e Temperatura, Dilatações, Lei dos Gases Ideais, Máquinas Térmicas, Processos Termodinâmicos, Oscilações e Ondulatória. Após pesquisa e construção de equipamentos, os acadêmicos completaram os estudos com uma mostra criativa de sistemas e aparelhamentos. Os trabalhos foram doados para o laboratório de Física da Instituição.

Além destas atividades, também foram realizados vários experimentos nas aulas de Física III, com destaque para três deles, confira:

“Pêndulo Eletrostático”: é um dispositivo para verificar a presença do excesso de cargas elétricas em um corpo. O aparelho é constituído por uma bola pequena e leves, suspensa por fios de seda, que são fixados a um gancho isolado. Um dos primeiros eletroscópios em formato de pêndulo foi desenvolvido em 1754, pelo físico britânico Jonh Canton (1718 –1772).

“Garrafa de Leyden”: é um tipo de capacitor de alta tensão de uso comum em eletrostática. Na forma original era apenas uma garrafa com água dentro e um fio servindo de terminal interior, com a mão do experimentador servindo de terminal exterior. No entanto, logo foi aperfeiçoada, sendo a primeira forma prática encontrada para o acúmulo de significantes quantidades de carga elétrica. O dispositivo foi criado em 1745, por Von Musschenbroek, na Holanda.

“Gerador Van de Graaff”: este aparelho é destinado ao estudo experimental da eletrostática e tem o objetivo de acumular tensão eletrostática muito alta na cavidade de uma esfera de metal. Robert Van de Graaff (1901-1967), físico Americano, foi o criador do instrumento.

“Lei de Ohm”: com ela, os alunos analisaram as relações entre a diferença de potencial em um resistor e a corrente elétrica que flui por este, assim como as relações entre a potência, a diferença de potencial e a resistência do material. A Lei de Ohm foi assim nomeada, em homenagem ao seu criador, o físico alemão, Georg Simon Ohm.

Busca

Newsletter

Aniversários