X

NOTÍCIA

Qual é a importância da educação na renda e na empregabilidade?

Publicada em: 13/12/2017 | Assessoria de Comunicação FAHOR

Confira no artigo abaixo as considerações do coordenador do Curso de Ciências Econômicas da FAHOR, Stephan Sawitzki que mostra como você pode ganhar em média, 2 vezes mais que outros trabalhadores...


Não é novidade que pessoas com mais estudo ganham mais, mas você sabe qual é o impacto do curso superior na renda das pessoas? Será que vale a pena continuar estudando ou simplesmente ficar onde está? Esses questionamentos, que muitos se fazem, vamos tentar responder no texto abaixo.

Então, será que devo continuar estudando? Em primeiro lugar lembre-se, o número de pessoas com ensino superior é muito menor do que o número de pessoas com ensino médio, essa disparidade fica ainda maior se analisarmos o número de pessoas com especialização, mestrado e doutorado. Uma analise econômica simplista, com base no que foi descrito acima já poderia nos dar pistas do que acontece com a renda. Lembre-se que quanto maior a oferta, menor tendem a ser os preços. Então, profissões com muita oferta de profissionais tendem a ter salários mais baixos. Com base nisso, profissionais com pouca concorrência, tendem a ter salários mais elevados, mas claro, é preciso que exista demanda por esses profissionais também.

Para ter uma ideia da disparidade entre a oferta de trabalho com nível superior, basta ver o estudo da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) publicada em 2016. Nessa publicação, é dito que no Brasil, apenas 14% dos adultos chega ao nível superior, isso mostra como a competição no andar de cima dos estudos ainda é muito menos acirrada, existindo pouca oferta de pessoas bem qualificadas.

Veja o exemplo da profissão de economista. O economista é um profissional multidisciplinar que pode atuar nas mais diversas áreas dentro de uma empresa. Esse profissional, que não conta com muita concorrência tem bons retornos em termos de salário. Segundo o Guia de Carreiras o salário dos economistas em início de carreira variam entre R$ 3.000,00 a R$ 6.000,00, podendo chegar a R$ 40.000,00, enquanto profissões afins com mais oferta pagam normalmente menos do que isso.

Segundo um estudo da FGV, em 2013, uma pessoa com nível superior ganhava em média 142% a mais que uma pessoa com nível médio. Já uma pessoa com pós-graduação ganhava em média 63% a mais que uma pessoa graduada.

Portanto, percebe-se que no Brasil, existe uma forte relação estudo salário. Uma pessoa com mais estudo, tende a ser mais produtiva, se adapta mais rapidamente a mudanças e não fica tão exposta ao desemprego em tempos de crise. Também uma pessoa mais qualificada, tende a demorar menos tempo para reingressar no mercado de trabalho no caso de uma possível demissão.

Vamos pensar de forma prática então. Qual a melhor maneira e a maneira mais segura de você crescer profissionalmente? Acima de tudo buscar se tornar um profissional melhor, mais qualificado e mais produtivo, em grande parte, isso se consegue via qualificação. Não corra o risco de se tornar um profissional como tantos outros, estude, se qualifique e colha os frutos futuros.

Busca

Newsletter

Aniversários